• Luiz da Cruz

Estratégias adotadas ainda em fevereiro ajudaram a evitar possível colapso do sistema de saúde

Especialistas internacionais ainda divergem sobre o monitoramento da Covid-19 e suas formas de assegurar que um país tenha superado o alto contágio. Até o início da pandemia, acreditava-se na chamada “imunidade de rebanho”, que consiste entre 70% a 80% da população já tenha os anticorpos do vírus e que com isso não haja mais transmissão entre as pessoas.

No entanto, depois do novo coronavírus, a “imunidade de rebanho” tornou-se um contrassenso entre os especialistas. Nem mesmo países que passaram pela avassaladora onda que infectou e matou centenas de milhares de pessoas, não conseguiram chegar a tal imunidade.

O Brasil segue na mesma análise, quando a pesquisa Epicovid, realizada pela Universidade Federal de Pelotas, em parceria com o Ministério da Saúde, mostrou que o país tem entre 4% a 7% de sua população com anticorpos para o coronavírus. A passagem dos pesquisadores da Epicovid em Cascavel, em junho, mostrou que uma pessoa pode infectar outras 21 pessoas, representando 4,7% da sua população com anticorpos da Covid-19.

“Não só em Cascavel, mas na maioria das cidades, o controle da doença tem sido feito com as medidas intermitentes (fechamento de atividades não essenciais e reabertura com foco na barreira mecânica como uso de máscaras, higienização das mãos e o distanciamento social)”, explica o coordenador do Centro de Operações de Emergências (COE), Rubens Griep.

“Não dá para fazer a afirmação de que Manaus, por exemplo, alcançou a imunidade de rebanho, mesmo com número alto de contaminados e mortos naquela região. Nem países como a Espanha, que teve uma “explosão” de casos, conseguiu alcançar todos os habitantes com os anticorpos”, pondera.

Na pesquisa da Epicovid estimou-se uma variação de 4 até 7% da população brasileira tenha os anticorpos da Covid-19. Porém, isso não significa imunidade de rebanho ou imunidade de grupo.

As estratégias de assegurar o atendimento à população infectada em Cascavel iniciaram ainda no final do mês de fevereiro. Baseada em três pilares (1-salvar o maior número de vidas; 2-organização do serviços de saúde; 3-saúde/economia), o município vem monitorando constantemente a evolução da doença em seu território.

Taxa de positividade

A Taxa de Positividade mais a taxa de ocupação de UTI exclusivos para Covid-19 são os indicadores essenciais no controle da doença. Além disso, a Secretaria de Saúde de Cascavel não mediu esforços para aparelhar sua rede de atenção para o enfrentamento da Covid-19.

Centro de Operações de Emergências, Unidades de Saúde referenciadas para síndromes respiratórias, Call Center, Hospital de Campanha/Centro de Triagem, testes e exames, abertura de leitos no Hospital Universitário e também o funcionamento por completo do Hospital de Retaguarda Allan Brame Pinho.

“Não existe a melhor decisão tomada e sim a resiliência, paciência e humildade de nós gestores públicos de cuidar da sua população e a mesma fazendo a parte dela de se proteger, enquanto a imunidade, através da vacina, há de ser aguardada”, destacou o Secretário Municipal de Saúde, Thiago Daross Stefanello.

Quem deve ligar no 3096-9090?

- Pessoas com sintomas respiratórios leves – tosse, coriza, dor de garganta, dor moderada no corpo. Sem sinais de alerta – falta de ar,

cansaço exagerado, febre que não melhora.

- Crianças e Idosos, devem ficar atentos quanto a sonolência, irritabilidade e perca de apetite;


Quem deve ligar no 192?

- Pacientes que apresentem sinais de urgência como dor no peito, desmaio, convulsão, falta de ar intensa, traumas e/ou acidentes;

Chat online

A Secretaria de Saúde disponibiliza o chat online hospedado no site fatooufakecascavel.com.br, que realiza o mesmo atendimento pelo Call Center (3096-9090). Lá, o paciente não fica aguardando a ser chamado, basta seguir as instruções contidas no chat, onde ao final do atendimento, dependendo da avaliação feita, o atendente encaminhará as informações a equipe médica de monitoramento


HOSPITAL DE RETAGUARDA

A unidade hospitalar conta com um ambulatório destinado exclusivamente para o atendimento de sintomas respiratórios, inclusive sintomas relacionados à COVID-19.


UPA TANCREDO

O atendimento é para pacientes menores de 14 anos, com ambulatório de Ortopedia para os demais serviços. Além disso, a UPA Tancredo é referência de ambulâncias com pacientes graves.


UPA VENEZA

O atendimento também somente para Urgências e Emergências 24 horas, sendo o atendimento tanto para adulto quanto pediátrico.


UPA BRASILIA

O atendimento também somente para Urgências e Emergências 24 horas, sendo o atendimento somente para pacientes acima de 14 anos.

152 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Branca Ícone Instagram
  • Ícone do Facebook Branco

© 2020 Secretaria de Comunicação Social de Cascavel