• Paula Mai

Começam as ações de estudo científico sobre o comportamento do vírus da Covid-19 em Cascavel

Território EfiCiência reúne diversas secretarias em uma ampla pesquisa que balizará ações futuras de enfrentamento à pandemia

O comportamento do vírus Sars-coV-2, causador da Covid-19, e o impacto na vida dos cascavelenses será tema de uma ampla pesquisa científica iniciada nesta segunda-feira (12) no Conjunto Riviera, região norte de Cascavel. O Território EfiCiência reúne diferentes secretarias municipais em ações que irão usar a educação, prevenção e ciência para direcionar as decisões futuras do Município.

Entre as ações do Território EfiCiência está um estudo para o retorno das aulas na rede municipal de ensino. Acompanhada por diversos serviços municipais para garantir segurança para alunos, famílias e servidores.

A retomada dos estudantes da Escola Professora Maria Aparecida Fagnani Soares e dos dois Cmeis no Riviera servirá de modelo para o restante da rede municipal.

“Estamos estudando voltar às aulas em toda a rede municipal, no entanto são mais de 30 mil crianças. A intenção é fazer esse trabalho piloto com dados científicos, atuando com a orientação e educação dos moradores e, claro, prevenindo a circulação do vírus. Dentro desse aspecto, o projeto servirá de base para o retorno de outras escolas municipais de Cascavel e também para cidades do oeste do Paraná, explica o prefeito Leonaldo Paranhos.

O coordenador do Comitê de Crise para Supervisão e Monitoramento dos Impactos da Pandemia da Covid-19, Thiago Stefanello, explica que o Território EfiCiência no Conjunto Riviera tem um planejamento de quatro semanas.

“Teremos acompanhamento muito forte na questão do retorno às aulas, fazendo primeiramente a testagem dos alunos e dos professores para que eles possam retornar em segurança para as salas de aula. Ao longo de 15 dias serão estudos e após isso faremos a testagem em massa para verificar o que se passou nesse período”, diz Stefanello.

Informações do Território EfiCiência apontam que o conjunto Riviera tem 2.800 residências o que dará amostragem de comportamento para aproximadamente dez mil pessoas. Estimativa que compreende o número de habitantes similar de uma cidade.

“De forma prudente vamos fazer essa experiência. Será um retorno gradual, com menos alunos. Até agora as medidas restritivas foram necessárias, no entanto precisamos de um estudo para saber o que ainda pode acontecer daqui para frente”, avalia o prefeito.

O secretário de Saúde, Miroslau Bailak comenta que, além do sequenciamento genético, a testagem em massa entre os moradores vai identificar as pessoas contaminadas, evitando que se transformem em pacientes graves nos hospitais, vítimas da covid. “Utilizando a base da educação e da ciência vamos entender o melhor caminho diante desta terrível pandemia”, observa.

Casos

O estudo EfiCiência pretende identificar, por exemplo, o por quê de uma região da cidade ter uma taxa de 300 mortes para cada 100 mil habitantes, sendo o bairro com o maior número de vítimas fatais durante a pandemia.

A população será testada em massa e, os casos positivos, acompanhados em casa.

A moradora Rosicleia Beleski Ribeiro aprovou o início do estudo e disse que as ações ajudam a controlar a disseminação da doença. “Com esses estudos, esses testes, você pode ter a noção se está aumentando ou diminuindo e o que nós podemos fazer para melhorar, como fazer, o que temos que evitar para continuar diminuindo. Eu acho isso muito importante”, afirma.

O conjunto de trabalho foi denominado de “Ação Técnica de Enfermagem Marielle Passos Silva”, em homenagem a servidora que atuava na UBS do Parque São Paulo e morreu vítima da Covid-19 no dia 6 de abril.

10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo